sexta-feira, 30 de julho de 2010

Servindo ao Dono à distancia

Tenho por costume não me envolver na vida baunilha da escrava e nem de permitir que ela conheça muito da minha. Porém meus diálogos com {mila} vão além Dominar, dar ordens e tarefas, relatórios, cobranças e elogios. Já é natural no fim da tarde ela me perguntar ao fone:
- Como foi seu dia Dono.
E eu responder:
- Nossa cadela. Você acredita que o FDP do turco fez tal coisa?
Ou então:
- O Coreano me ligou e marcou reunião pra amanhã...
É claro que ela também tem seus dias de felicidade ou de neuroses profissionais ou pessoais. E nesses dias estou pronto a comemorar suas vitórias ou dar-lhe suporte nos momentos difíceis.
Ela se auto-intitula meu patuá. Fica emanando boas energias e torcendo fervorosamente para que tudo dê certo pra mim, até quando meu time de futebol joga ela fica lá fazendo figa (uma pena que o Palmeiras não sabe ainda aproveitar-se disso....grrrrr), e tem me trazido bons resultados.
Um fato interessante aconteceu essa semana e exemplifica bem.
Na segunda feira comentei com ela que teria a tão esperada reunião com os coreanos para apresentação de um projeto. Falei que iria com o terno azul, porque os outros eles já conheciam de outras ocasiões, e eu não queria que pensassem que eu só tinha aqueles 3.
- Cadela, amanhã vou lá comprar uma gravata azul porque aquela lá eu usei na ultima reunião com o terno preto e vai parecer que é a mesma roupa. Os caras vão pensar que é uniforme. Falei no celular em tom sarcástico.
- Ai Dono. O Senhor vai naquela loja ao lado café, não é? Quem vontade de estar com o Dono, servir seu café e ir junto comprar. O Senhor sabe o quanto gosto de estar ao seu lado e de acompanhá-lo nas compras. Falou ela com voz dengosa de cadela pidona.
- Numa outra oportunidade cadela. É até bom eu ir sozinho desta vez, senão daqui a pouco não vou mais saber nada sem a cadela. Respondi gargalhando já cortando a insinuação dela de aproveitar a desculpa para me encontrar. Não creio que haja necessidade de ser rude para se colocar a escrava em seu lugar, talvez lá no começo da Ds quando estão se conhecendo, mas depois, o Dominante imediatamente identifica as tentativas dissimuladas de manipulação e a escrava percebe o desagrado até mesmo num sorriso do Dono.
Não é que não precisei ir a tal loja! No dia seguinte minha filha chegou com 2 gravatas francesas de seda, sendo uma azul que combinava perfeitamente com o terno e com a camisa que eu pretendia usar (não sei se eu teria encontrado uma tão perfeita na loja), e outra em tons terra que casava exatamente com outro conjunto.
Coincidência ou resultado da força de pensamento da {mila}, mais uma vez algo que desejo cai no meu colo.
Bem a coisa não para por aí. Os fatos principais que me levaram a escrever esta postagem vêm a seguir.

À noite fui checar se estava tudo pronto para o dia seguinte, principalmente a camisa e a calça, porque nada igual à empregada pra te fazer passar vergonha com vinco duplo e colarinho torto. Para minha surpresa tudo parecia impecável, até que percebi uma horrenda mancha no paletó (muito provavelmente de café). Pra ajudar eu estava sozinho em casa e sem carro, logo nem numa lavanderia 24 horas eu conseguiria ir (caso eu soubesse onde tem uma....rs).
Peguei o celular e fui cobrar a cadela que ela não havia mentalizado direito. Já fui logo falando:
- Cadela fodeu!
- Acalme-se Dono. O que foi que aconteceu? Respondeu ela assustada imaginando uma catástrofe.
- Tem uma mancha enorme no meu terno. Dramatizei eu.
Ela não conseguiu conter a gargalhada.
- E você ri puta!
- Desculpe Dono, mas foi hilário. Não há motivos para pânico basta, fazer assim....
E eu, um homem de mais de 40 anos que mal sabe colocar sabão na máquina de lavar roupas, depois de uma detalhada explicação da cadela, aprendi a fazer lavagem a seco.
Em certo momento em que eu ouvia atento aquela orientação meiga lembrei-me de minha mãe (afinal certos ensinamentos, zelos, cuidados e meiguices são próprios dela), mas isso não significa que eu tenha feito qualquer tipo de transferência ou um complexo de Édipo, pelo contrário exemplifica como uma escrava pode ir muito além.
Parabéns cadela por ir cada dia mais além.

PS (1): O terno ficou novinho...rs
PS (2): Acho que estou ficando cada dia ainda mais mimado.....kkkk

sábado, 3 de julho de 2010

Video Zoofilia 14

Video Zoofilia 13

Video Zoofilia 12

Video Zoofilia 11

Video Zoofilia 10

Video Zoofilia 9

Video Zoofilia 8

Video Zoofilia 7

Video Zoofilia 6

Video Zoofilia 5

Video Zoofilia 4

Video Zoofilia 3


Video Zoofilia 2

Video Zoofilia 1